Cicilia Peruzzo: a comunicação popular, comunitária e alternativa no Brasil

30 January 2020

Sorry, this entry is only available in European Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Para Cicilia Peruzzo, o quadro sociopolítico brasileiro reforça a luta dos grupos sociais organizados pelos seus direitos. É através da comunicação popular, comunitária e alternativa – a chamada “contra-comunicação” – que as classes subalternas tentam obter conquistas e dar visibilidade a causas sociais. “Acho que determinadas políticas governamentais chegam a atrapalhar, mas não conseguem impedir a comunicação popular”, afirma.

Em entrevista ao think tank Communitas, a professora de Pós-Graduação em Comunicação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e na Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo reflete ainda sobre a evolução comunicativa dos grupos sociais: “Há um passo qualitativo no sentido das lutas porque [os movimentos sociais] percebem que não é só uma questão de permanência da terra, é uma questão de interferir nas políticas publicas a médio e longo prazo”.

A entrevista completa está disponível no artigo Cicilia Peruzzo: um Brasil que fortalece a “contra-comunicação”