Lígia Amâncio: Em Portugal, “há um enorme défice de conhecimento” sobre as questões de género

08 March 2019

Sorry, this entry is only available in European Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Lígia Amâncio, coordenadora do projeto SAGE (Systemic Action for Gender Equality) no ISCTE-IUL, afirma que “o trabalho de ensinar as questões de género e de as integrar no panorama da formação científica nunca foi realmente assumido pelas instituições portuguesas”.

Lígia Amâncio

Para a investigadora, do ponto de vista legislativo, Portugal tem “algumas peças extremamente progressistas” neste domínio, contudo, “não tem esta mesma evolução ao nível do conhecimento” e é esta falta de trabalho de ensino e de integração no panorama da formação científica que associa a retrocessos neste campo.

Numa entrevista publicada por ocasião do Dia Internacional das Mulheres, a qual pode ser vista na íntegra aqui, Lígia Amâncio, uma das pioneiras na área dos Estudos de Género em Portugal, aborda diferentes pontos associados às questões da igualdade e dos estudos de género, apresentando ainda a Carta de Princípios sobre Igualdade de Género elaborada no contexto do Projeto SAGE.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.