O impacto do terrorismo no turismo

02 Setembro 2019

Soraia Pereira da Costa, mestranda em Sociologia e Emília Araújo, investigadora do CECS, discorrem sobre a vulnerabilidade do turismo enquanto setor que depende “da capacidade de atração dos locais a visitar e das condições de segurança que oferecem”.

Imagem de Matthew Henry (uso livre)

As investigadoras apontam no artigo Temas emergentes na área dos estudos do turismo: terrorismo e insegurança que, apesar de alguns estudos indicarem uma queda no fluxo de turistas em locais alvos de ataques terroristas, noutros casos, “ainda que a insegurança seja elevada e o sentimento de risco possa ser perturbador”, o impacto negativo não é suficiente para demover um certo tipo de turista que “convive com o risco e a insegurança e, de certa forma, ou a ignora ou a consome na própria experiência turística”.

O texto traz ainda uma reflexão sobre a forte vigilância montada em territórios marcados pela ameaça do terrorismo e a sensação ilusória de proteção. “O turismo, o terrorismo e a vigilância formam uma das tríades mais desencontradas nos tempos atuais que importa ter em conta, tanto em termos individuais, como coletivos”, afirmam as pesquisadoras.

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.